terça-feira, 15 de janeiro de 2008

SONNY BOY WILLIAMSON II -*05/12/1899 † 25/05/1965


Primeiramente um esclarecimento: Sonny Boy Williamson II não tem nenhum grau de parentesco com o Sonny Boy Williamson I, mesmo porque era catorze anos mais velho. Ele simplesmente “usurpou” o nome do antecessor, mas em contrapartida deu fama ao nome, que é sinônimo do Blues de Gaita.

Nada mais condizente com uma carreira no blues que uma vida envolta em mistério. E Sonny Boy Williamson é dos melhores exemplos.

Sempre se recusou a falar sobre sua juventude, e nunca se soube ao certo sua data de nascimento. Acredita-se que tenha sido em dezembro de 1899, em Glendora, Mississippi. Nascido Aleck "Rice" Miller, depois adotou o nome do padrasto, Jim Miller. Era também conhecido como Rice (Arroz). Pouco mais se sabe da sua infância. Muito tempo depois, na década de trinta, ele começa a ser visto vagando pelo sul dos EUA, tocando sua harmônica em qualquer lugar onde houvesse público, sob o nome artístico de Little Boy Blue. Como vários outros grandes do blues, é acusado de ter vendido a alma ao demônio em troca de seu talento artístico.

Em 1941, consegue um trabalho no programa de rádio King Biscuit Time, bancado por uma empresa alimentícia (o patrocinador, convencido que um nome já conhecido aumentará a audiência, passa a chamar o bluesman de Sonny Boy Williamson, o mesmo nome de um artista de Chicago, Lee Sonny Boy Williamson). Mas sua participação no programa durou pouco. Bastava um aceno da sua santíssima trindade (mulheres, álcool e cartas) para que Sonny Boy desaparecesse sem aviso, sumindo durante meses, algumas vezes por mais de um ano. Ressurgia de surpresa em outro lugar, tocando em alguma rádio, somente para sumir novamente.

Sua passagem pelos discos não foi menos conturbada. Na década de quarenta, conseguiu um contrato de dois anos com uma gravadora na Louisiana, mas foi embora antes de gravar qualquer música.

Somente em 1951 voltou aos estúdios, desta vez para a Trumpet Records do Mississippi. Causou tantos problemas por lá, sempre pedindo dinheiro para em seguida desaparecer sem aviso, que acabou sendo transferido para a gravadora Chess. Foi onde deixou registrados seus melhores trabalhos.
Seu domínio da harmônica era exemplar, servindo de modelo a toda uma geração de bluesmen, de Howlin' Wolf (que foi aluno de Williamson) a Muddy Waters. Não só utilizava inúmeros recursos, como vibratos e trinados, mas também possuía um inigualável sentido do tempo musical, brincando e entrelaçando melodia e harmonia de forma magistral.
Na manhã de 25 de maio de 1965, Sonny Boy Williamson foi encontrado morto em sua cama, em Helena, Arkansas. Na noite anterior, como sempre fazia, tinha estado tocando e bebendo num bar.

"KEEP IT YOURSELF" - SONNY BOY WILLIAMSON II
Baixe Aqui!

Baby, do me a favor, keep our business to yourself
Please, darling, do me a favor, keep our business to yourself
I don't want you to tell nobody in your family,
and don't mention it to nobody else
Don't tell your mother
Don't tell your father
Don't tell your sister
Don't mention it to your brother
Please, darling, keep our business to yourself
Don't you tell nobody,
and don't mention it to nobody else
You have a husband,
I have a wife
If you start to talkin',
that's gonna mess up our life
Please, please baby, keep our business to yourself
Don't you tell nobody,
and don't mention it to nobody else
Goodbye darlin'

"Your Funeral and my trial" Sonny Boy Williamson II



por: JoKa Blues

Nenhum comentário:

Seguidores deste Blog