segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

2010 o Ano do...

Bem que eu Gostaria de falar que esse ano é o ano do Blues! Mas po... a vida podia ser tão simples quanto amar o Blues.


Mas não posso me queixar, é vivendo que se ganha ânimos novos e antigas paixões são reacendidas, e uma delas é a música, o Blues. Que por mais que eu tenha deixado de postar por aqui, tem sido presente em vários momentos da minha vida e nunca foi tirado da minha trilha sonora cotidiana.

Como já disse anteriormente, o blog não é bem um Blog com postagens, novidades e etc. Mas sim uma grande enciclopédia do Blues de Raiz. E eu pretendo seguir essa linha apresentando a todos os queridos amantes do Blues, vários e vários músicos e figuras que de alguma forma ficaram na história e merecem ser lembrados.

Feliz 2010!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Novos textos estão por vir

Olá grandes amantes do Blues de Raiz!

Acho que todos aqui concordam que nos últimos 5 meses do ano as coisas sempre ficam corridas, e eu não sou imune a isso.
Nesses 5 meses passados eu estava estudando de mais para concluir meus estudos e justamente por isso, elaborar novos textos e biografias para o blog ficaram praticamente impossíveis. Agora ainda irei estudar muito, e agora para entrar na faculdade. Mas você, querido leitor, não se preocupe, agora que estou me dando umas férias irei reunir os colaboradores para que coloquemos esse projeto pra frente. E você que quer também colaborar, basta entrar em contato comigo.

Pra quem não conhece, a idéia do blog é mais formar uma Grande Enciclopédia do que ser um blog propriamente dito. Então você que gosta do blog, assine o feed ou o o Newsletter e ficará sabendo das novidades.

 

Abraços!

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

POR QUE TANTOS BLUESMANS CEGOS (BLINDS) ??

por Joka Blues:

Blind Willie McTell, Blind Blake, Blind Lemonn Jefferson, Blind Boy Fuller, Blind Willie Johnson,Blind Rev. Gary Davis, Blind Snooks Eaglin , Blind John Henry Arnold; Blind Joe Taggart; Blind Roosevelt Graves... …

Após realizar algumas pesquisas, eu particulamente estou convencido do seguinte:

Há de se buscar o lapso de tempo em que notadamente apareceram BluesMen Cegos nessas condições. Os Estados Unidos vinham sentindo sintomas de uma grande crise econômica desde 1924. Oficialmente, no dia 29 de outubro de 1929 ocorreu a Quebra da Bolsa de Valores de New York , sendo entendido como o dia em que inicou-se a Grande Depressão nos Estados Unidos.

Assim, milhares de acionistas perderam, literalmente, da noite para o dia, grandes somas em dinheiro. Muitos perderam tudo o que tinham. Esta quebra na bolsa de valores de Nova Iorque piorou drasticamente os efeitos da recessão já existente, causando deflação e queda nas taxas de venda de produtos, que por sua vez obrigaram ao fechamento de inúmeras facilidades comerciais e industriais, elevando assim drasticamente as taxas de desemprego.

Com uma taxa de desemprego devastadora, as pessoas portadoras de algum tipo de deficiência estavam literalmente condenados a morrer de fome, se não encontrassem o que fazer. Das deficiências, a falta da visão acurava os sentidos de sensibilidade, dando ao músico cego uma destreza acima da média para poder executar e performar as canções ... Desta forma, devido a não encontrarem outras saídas, esses artistas se tornaram notáveis intérpretes e instrumentistas, o que vem a tentar explicar essa quantidade de BLINDS dentro do Universo do Blues, a Música do Gueto naquela época.

O assunto está aberto à discussão, se alguem tiver alguma outra opinião, por favor .. é só postar ... todos adoramos aprender .

Leia sobre todos os Blinds que já passaram pelo Blog

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

LUCILLE BOGAN *01/04/1897 † 10/08/1948

Nascida Lucille Anderson em Amory, Mississippi, e cresceu em Birmingham, Alabama. Em 1916 ela se casou Nazaret Lee Bogan, um ferroviário, onde tiveram um único filho.

Ela gravou canções de “vaudevill” para a Okeh em Nova Iorque em 1923, com o pianista Henry Callens. Depois daquele ano ela começou a gravar canções de Blues, seu primeiro blues foi gravado em Atlanta, sendo a primeira cantora negra de Blues a gravar fora de Nova Iorque ou Chicago. Em 1927 ela começou a gravar na Supreme Records em Chicago onde registrou seu primeiro grande sucesso "Sweet Petunia" com Blind Blake. Ela também gravou para a Brunswick Records com Tampa Red e Cow Cow Davenport.

Antes das 1930 suas letras concentravam vício e sexo. Suas canções como "Sloppy Drunk Blues" – gravada por Leroy Carr e outros e "Tricks Ain't Walkin' No More" - depois gravada por Memphis Minnie. Ela também registrou a versão original de " Black Angels Blues” e (como " Sweet Little Angel") foram gravadas por B.B. King e muitos outros.

Treinada nas “rodas” e clubes de juke mais desordeiros dos anos vinte, a maioria das canções de Lucille Bogan que ela compôs, traziam referências ocultas de humor sexual. O tema de prostituição, em particular, caracteriza proeminentemente várias de suas gravações (ela era, o que se chamaria hoje de “gozadora”, uma Zeca Pagodinho do Blues, guardadas as proporções dela).

Ao redor 1932 que ela voltou para Birmingham, e, aparentemente para esconder sua identidade, começou a gravar como Bessie Jackson para o selo Arco. Ela normalmente foi acompanhada em piano por Walter Roland (foto) , com quem ela registrou mais de 100 canções entre 1933 e 1935, incluindo alguns dos seus grandes sucessos comerciais, como "Seaboard Blues", "Troubled Mind", e "Superstitious Blues".

A música que iremos ouvir foi gravada em 1933 e ela está sendo acompanhada ao piano pelo pianista Walter Roland... é um Blues, sim... despojado e cheio de palavrões, como era característico da Lucille, no tal Clube para adultos que mencionamos em nosso Post.

"SHAVE 'EM DRY" - LUCILLE BOGAN

Baixe Aqui!

I got nipples on my titties, big as the end of my thumb,
I got somethin' between my legs'll make a dead man come,
Oh daddy, baby won't you shave 'em dry?
Aside: Now, draw it out!
Want you to grind me baby, grind me until I cry.
(Roland: Uh, huh.)
Say I fucked all night, and all the night before baby,
And I feel just like I wanna, fuck some more,
Oh great God daddy,
(Roland: Say you gonna get it. You need it.)
Grind me honey and shave me dry,
And when you hear me holler baby, want you to shave it dry.
I got nipples on my titties, big as the end of my thumb,
Daddy you say that's the kind of 'em you want, and you can make 'em come,
Oh, daddy shave me dry,
(Roland: She ain't gonna work for it.)
And I'll give you somethin' baby, swear it'll make you cry.
I'm gon' turn back my mattress, and let you oil my springs,
I want you to grind me daddy, 'til the bell do ring,
Oh daddy, want you to shave 'em dry,
Oh great God daddy, if you can't shave 'em baby won't you try?
Now if fuckin' was the thing, that would take me to heaven,
I'd be fuckin' in the studio, till the clock strike eleven,
Oh daddy, daddy shave 'em dry,
I would fuck you baby, honey I'd make you cry.
Now your nuts hang down like a damn bell sapper,
And your dick stands up like a steeple,
Your goddam ass-hole stands open like a church door,
And the crabs walks in like people.
Aside: Ow, shit!
(Roland: Aah, sure enough, shave 'em dry?)
Aside: Ooh! Baby, won't you shave 'em dry
A big sow gets fat from eatin' corn,
And a pig gets fat from suckin',
Reason you see this whore, fat like I am,
Great God, I got fat from fuckin'.
Aside: Eeeeh! Shave 'em dry
(Roland: Aah, shake it, don't break it)
My back is made of whalebone,
And my cock is made of brass,
And my fuckin' is made for workin' men's two dollars,
Great God, round to kiss my ass.
Aside: Oh! Whoo, daddy, shave 'em dry

Texto de Joka Blues


E isso é tudo, pessoal!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

STRANGE FRUITS - Um tema Delicado


Download


Primeiro, leiam a tradução e depois acompanhem a letra.

Estranho Fruto

''Árvores sulistas têm um estranho fruto,
Sangue nas folhas e sangue na raiz,
Corpo negro balançando ao sopro da brisa do Sul,
Fruto estranho pendente em álamos.
Cena pastoral do Sul galante,
Os olhos esbugalhados e a boca torcida,
Perfume de magnólia doce e fresco,
E o súbito cheiro de carne queimada!
Eis um fruto para os corvos bicarem,
Para a chuva arrancar, para o vento sugar,
para o sol apodrecer, para uma árvore deixar cair,
Eis uma estranha e amarga colheita''


É verdade, não se trata de Blues; da forma que nos habituamos a ouvir... mas é puro Blues pela letra, pela interpretação. Reza a lenda que Billie Holiday não se continha e chorava a cada vez que interpretava essa musica.

Strange Fruits
Billie Holiday – Gravação de 1940

"Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black bodies swinging in the southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.
Pastoral scene of the gallant south,
Of the bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolias, sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh.
Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop"


- music and lyrics by Lewis Allan, ©1940

Conta a história dos estranhos frutos que cresciam nas árvores do Sul dos Estados Unidos, quando negros eram perseguidos e linchados sob as vistas e aplausos de centenas, milhares de pessoas, todas brancas.

LINCHAMENTOS DE NEGROS

Esssas cenas eram comuns... e nesse endereço vocês irão encontrar fotos desses linchamentos, clicando em 'NEXT'.

http://www.americanlynching.com/pic1.htm

Pergunto a vocês... são ou não são estranhos frutos?

Linchagem, linchamento ou lei de Lynch é o assassinato de um indivíduo, geralmente por uma multidão, sem procedimento judiciário legal e em detrimento dos direitos básicos de todo cidadão.

Muitos autores atribuem a origem da palavra ao coronel Charles Lynch, que praticava o ato por volta de 1782, durante a guerra de independência dos Estados Unidos da América, ao tratar dos pró-britânicos. Entretanto, é mais seguidamente atribuída ao capitão William Lynch (1742-1820), do condado de Pittsylvania, Virgínia, que manteve um comitê para manutenção da ordem durante a revolução, por volta de 1780.

A « lei de Lynch » deu origem à palavra linchamento, em 1837, designando o desencadeamento do ódio racial contra os índios, principalmente na Nova Inglaterra, apesar das leis que os protegiam, bem como contra os negros perseguidos pelos "comitês de vigilância" que darão origem ao Ku Klux Klan. No sul, é a desconfiança da lei e a reivindicação de anarquia que favoreceram seu desenvolvimento.

Nos Estados Unidos, antes da Guerra Civil, o linchamento era usado principalmente contra defensores dos direitos civis, ladrões de cavalos e trapaceiros. No entanto, por volta de 1880, seu uso se expandiu para grupos de status social supostamente mais baixo, como negros, judeus, índios e imigrantes asiáticos.

A prática do linchamento ficou particularmente associada ao assassinato de negros no sul dos Estados Unidos no período anterior às reformas dos direitos civis da década de 1960. Menos de 1% dos participantes de linchamentos nos EUA foram presos. Mais de 85% dos estimados 5000 linchamentos do período posterior à guerra civil ocorreram nos estados do sul, mas o problema era nacional, com um ápice em 1892, quando 161 negros foram linchados.

fonte: Wikipedia


A KU KLUX KLAN

Ku Klux Klan (também conhecida como KKK) é o nome de várias organizações racistas dos Estados Unidos que apóiam a supremacia branca e o protestantismo (padrão conhecido também como WASP) em detrimento a outras religiões. A KKK, em seu período mais forte, foi localizada principalmente na região sul de tal país, em estados como Texas e Mississipi.



A primeira Ku Klux Klan na verdade foi fundada por 60 amigos da cidade de Pulaski, Tennessee, em 1865 após o final da Guerra Civil americana. Seu objetivo era impedir a integração social dos negros recém-libertados, como por exemplo, adquirir terras, ter direitos concedidos aos outros cidadãos, como votar. O nome, cujo registro mais antigo é de 1867, parece derivar da palavra grega kyklos, que significa 'círculo, anel', e da palavra inglesa clan (clã) escrita com k. Devido aos métodos violentos da KKK, há a hipótese de o nome ter-se inspirado no som feito quando se coloca um rifle pronto para atirar.

Em 1872 o grupo foi reconhecido como uma entidade terrorista e foi banida dos Estados Unidos.



O segundo grupo que utilizou o mesmo nome foi fundado em 1915 (alguns dizem que foi em função do lançamento do filme O Nascimento de uma Nação, naquele mesmo ano) em Atlanta por William J. Simmons. Este grupo foi criado como uma organização fraternal e lutou pelo domínio dos brancos protestantes sobre os negros, católicos, judeus e asiáticos, assim como outros imigrantes. Este grupo ficou famoso pelos linchamentos e outras atividades violentas contra seus "inimigos". Chegou a ter 4 milhões de membros na década de 1920, incluindo muitos políticos. A popularidade do grupo caiu durante a Grande Depressão e durante a Segunda Guerra Mundial.



DECADÊNCIA DA KKK

A perda de respeitabilidade da Ku Klux Klan, unida a divisões internas, levou à degradação de seu público, apesar de a organização continuar a realizar expedições punitivas, desempenhando por exemplo o papel de supervisora de uma agremiação de patrões contra os sindicalistas, cuja cota estava em alta depois da crise de 1929.

Nos anos 1930, o nazismo exerceu uma certa atração sobre a Ku Klux Klan. Não passou disso, porém. A aproximação com germanistas foi bruscamente encerrada na Segunda Guerra Mundial, depois do ataque japonês à base americana de Pearl Harbor, quando muitos membros se alistaram no exército para lutar contra o "perigo amarelo". Só faltava o tiro de misericórdia ao império invisível. Em 1944, o serviço de contribuições diretas cobrou uma dívida da Klan, pendente desde 1920. Incapaz de honrar o compromisso, a organização morreu pela segunda vez.

Apesar de diversas tentativas de ressurreição (num âmbito mais local que nacional), a Ku Klux Klan não obteve mais o sucesso de antes da guerra. As mentalidades evoluíram. A ameaça de crise estava a partir de então descartada, tendo o soldado negro mostrado que era capaz de derramar tanto sangue quanto o branco.

Finalmente, o "traidor" Stetson Kennedy contribuiu para desmistificar a organização, liberando todos os seus segredos no livro "Eu fiz parte da Ku Klux Klan". Alguns klanistas ainda insistiram e suscitaram, temporariamente, uma retomada de interesse entre os WASP (sigla em inglês para protestantes brancos anglo-saxões) frustrados, que não compunham mais a maioria da população americana.



Nos ano de 1950, a promulgação da lei contra a segregação nas escolas públicas despertou novamente algumas paixões, e cruzes se acenderam. Seguiram-se batalhas, casas dinamitadas e novos crimes (29 mortos de 1956 a 1963, entre eles 11 brancos, durante protestos raciais). Os klanistas tentaram se reciclar no anticomunismo, combatendo os índios ou atenuando seu anticatolicismo fanático.

Mas nada surtiu grande efeito e o declínio da Klan já tinha começado desde o fim dos anos 1960, época em que só contava com algumas dezenas de milhares de membros. Depois, podia-se tentar distinguir os Imperial Klans of America dos Knights of the Ku Klux Klan, ou ainda dos Knights of the White Camelia, alguns dos vários nomes das tentativas de ressurgimento.

Mas os klanistas não eram mais uma organização de massa. Apesar das proclamações tonitruantes e de provocações episódicas, as "Klans" não reuniam mais do que alguns milhares de membros, comparáveis assim com outros grupelhos neonazistas com os quais às vezes mantinham relações. A organização não parece estar perto de renascer uma segunda vez.

Hoje a Ku Klux Klan, conta apenas com um efetivo de 3 mil homens em todos os estados confederados, apesar do baixo número de associados, muitos não associados apoiam a organização.

fonte: Wikipedia


Nota: Isso foi postado pelo nosso querido Joka na nossa comunidade do Orkut. É impossível entender a história do blues sem saber o que acontecia e em que situação se encontravam os negros naquela época. A perseguição racial que eles eram submetidos não era nada fácil. Infelizmente, ainda hoje muitas pessoas não entenderam que a pigmentação da pele não garante poder perante as outras pessoas e que todos os seres humanos são iguais.</

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

KANSAS JOE McCOY * 11/05/1905 † 28/01/1950

Ao lado do irmão mais jovem Charlie, Kansas Joe McCoy é um dos grandes ”sidemen” na História do Blues. Sua forma quase espartana de deslizar na Guitarra foram preservados nas gravações de sua esposa Memphis Minnie, de forma notável. Nascido em 11 de maio de 1905 em Jackson, Mississippi, ele era principalmente conhecido como Kansas Joseph McCoy, mas atuou com uma longa lista de pseudônimos, onde incluem-se aparições como o “Hillbilly Plowboy” , Mud Dauber Joe, Hamfoot Ham, Georgia Pine Boy and Hallelujah Joe.

Músico autodidata, ele se mudou para Memphis durante meados dos anos 1920, e uniu-se à Jed Davenport's Beale Street Jug Band e Memphis Minnie, de quem se tornou o segundo marido. Durante os seis anos que permaneceram casados, a acompanhou em muitos clássicos, aparecendo como intérprete em "WHEN THE LEVEE BREAKS" e "JOLIET BOUND" que abaixo disponibilizamos.

O Casal migrou para Chicago em 1930, onde, na companhia de celebridades, encontraram e se identificaram com Big Bill Broonzy e Tampa Red; daí adaptaram o seu som à forma de ambientes urbanos que era novidade para eles.

Com o trabalho de violão eloqüente que o caracterizava, assim como o efeito vocal profundo, McCoy poderia ter subido bem a estrelato pelos seus próprios esforços, mas parecia preferir o papel de sideman. Depois do divórcio dele com Memphis Minnie, ele e seu irmão Charlie McCoy formaram o Harlem Hamfats, performando gravações regulares entre 1936 e 1939, até o grupo se desfazer. Após isso, fundou o Big Joe and His Washboard Band que evoluiu em seguida para o grupo Big Joe and His Rhythm, durante meados dos anos 1940. McCoy morreu no dia 28 de janeiro de 1950.

JOLIET BOUND - KANSAS JOE McCOY
(Registro –11220A , New York City, 3 Fevereiro de 1932
Kansas Joe McCoy)


Baixe Aqui!


Now the police coming with his ball and chain
Mmmm mmmm
Police coming with his ball and chain
And they accusing me of murder, never harmed a man
Now some got six months, some got one solid year
Mmmm mmmm
Some got six months, some got one solid year
Now me and my buddy got a lifetime here
Now the judge he pleaded, clerk, he wrote it down
Mmmm mmmm
Judge he pleaded, clerk, he wrote it down
That if I miss jail sentence now, must be Joliet bound
Now cook my supper, let me go to bed
Mmmm mmmm
Cook my supper now, let me go to bed
I’ve been drinking white lightning and it’s gone to my head
Now you quit me baby, first thing you want to do
Mmmm mmmm
Quit me baby, first thing you want to do
Some day you gonna want me, cinch and I won’t want you
Now the police shivved his old pistol in my side
Mmmm mmmm
Police shivved his old pistol in my side
Said if you run big boy, now, must be born to die
When they had my trial, you could not be found
Mmmm mmmm
Had my trial, you could not be found
Now I done got all messed up and I’m Joliet bound


Façam uma viagem ao tempo, ao som de Memphis Minnie e Kansas Joe.
"
When The Levee Breaks"



É isso aí galera, até mais!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

MEMPHIS MINNIE * 03/06/1897 † 06/08/1973

Nascida Lizzie Douglas, na cidade de Algiers (Pertinho de New Orleans) tornou-se a primeira Dama do Delta Blues. Virtuosa guitarrista, ganhou sua primeira Guitarra no natal de 1904, após sua família mudar-se para Wallis, no Mississippi.

Pelos anos 17 e 18, Lizzie já era figura conhecida em Memphis, no Tennessee onde tocava sua guitarra pelas ruas e em festas de amigos. Seu nome Memphis Minnie foi adotado em sua primeira gravação, acontecida em 1929, junto com seu primeiro marido, Joe Mc Coy.

Em 1932, já casada com seu segundo marido, Kansas Joe, gravou inúmeras canções de cunho romântico, como Bumblee Bee; I’m Talking About You e foram campeões de vendas pelo selo Vocalion.

Essa relação durou até final de 1938,, quando por exigência da Vocalion, tinha que se deslocar em constantes viagens, quando Minnie encontrou um novo amor e parceiro musical, Little Son Joe.

Essa parceria durou alguns anos e ali aconteceram seus maiores sucessos, como “Nothing in Rambling! E “Me and My Chauffeur Blues”, colocando-a no posto de a mais popular “performer” nos Clubes de Chicago.

Em 1960, sofreu uma queda que a deixou impossibilitada de locomover-se, tendo que faze-lo em cadeiras de rodas. A melancolia se abateu sobre ela e em 06 de agosto de 1973 morreu na Cidade de Memphis.

Essa canção que vem agora, é uma delicia!! Uma voz clara, limpa, anasalada como só as pessoas negras conseguem ter ... Gravada em 1938 em Chicago, Ill.

"WHERE IS MY GOOD MAN AT?" - MEMPHIS MINNIE

Baixe Aqui!

Lord I wonder,
where is my good man at
He left here this morning
Didn't carry nothing but his hat
He left his suit
hanging all on the rack
He left here this morning
Didn't carry nothing but his hat
If only,
Could get my good man back
He left here this morning
Didn't carry nothing but his hat


Nota: Pessoal, peço perdão pela grande ausência que dei no último mês. Reservei uns dias para pré-postar uma sessão de posts para que o blog não fique tanto tempo sem se atualizar. Espero que entendam, semana que vem tem mais, Abraços!

Uptade: Coincidentemente, hoje fazem exatamente 34 anos da morte de Memphis Minnie.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

BO DIDDLEY - * 30/12/1928 - † 2/06/2008

Este será um post especial, embora não seja especificamente Blues de Raiz, esse grande bluesman merece nossa homenagem aqui no blog, pois nessa semana veio a falecer, e isso faz todos os admiradores de Blues e principalmente de Rock se sentirem órfãos.

Ellas McDaniel, mais conhecido por Bo Diddley, que significa algo como "garoto travesso", foi um dos percusores do Rock'n Roll. Com seu estilo único, batizado de "Batida, Bo Diddley", uma batida meio rumba que é feita usando-se a clave, influenciou vários grandes guitarristas como Muddy Waters e Buddy Holly. Para ele, o ritmo era a essência de sua música, sendo mais importante até que a melodia, isso explica suas músicas tão animadas e com batidas que marcam na memória.

Nascido no Missippippi, sem conhecer seu pai, sua mãe sem condições de criá-lo o entregou para a família McDaniel, sobrenome que adotou substituindo seu antigo nome Ellas Bates. Mudando-se com a família para Chicago em 1934, Ellas começa a atiçar sua aptidão musical, fazendo aulas de violino e tocando na orquestra da Igreja. Mas tudo muda quando ganha de sua irmã um violão aos 12 anos, então começa a praticar sozinho, mas ainda não muito perto blues, pois ele ainda era muito envolvido com a música clássica. Até que um dia conheceu o guitarrista Earl Hooker, que apresentou a música de seu primo famoso, John Lee Hooker, depois disso Bo Diddley percebe que o seu ramo deveria ser outro.

Não demorou muito e Bo se tornou um grande artista principalmente de R&B, compôs vários hits famosos como "I'm a Man", "Hey Bo Diddley", "Pretty Thing", "Roadrunner" entre tantos outros.
Seu estilo "beat Bo Diddley"(a famosa batida Bo Diddley) era explicada por ele da seguinte maneira: Como já havia tentado frustradamente ser baterista, e gostava muito de percursão, ele encorporava na guitarra batidas de bateria, o que deixava tão peculiar a sua musicalidade. Isso tudo e eu ainda não mencionei sua estilosa e diferente guitarra quadrada! Outra marca que faz dele um artista sem igual!

Mais tarde teve várias de sua canções regravadas por bandas como os Yadbirds, The Animals, Woolies e George Thorogood.

Em Maio do ano passado, Diddley foi internado no Creighton University Medical Center em Omaha, depois de sofrer um derrame durante uma apresentação. Isso afetou o lado esquerdo de seu cérebro fazendo com que ele tivesse dificuldades de falar e de compreender. Ainda no ano passado, em Agosto sofreu um incidente cardíaco enquanto fazia um Check-up médico, e foi internado num hospital da Flórida. Na última segunda-feira, 2 de Junho de 2008, em sua casa situada na Flórida, veio a falecer por insuficiência cardíaca.

O "garoto travesso" sabe da ajuda que deu na construção desse grande império chamado Rock 'N Roll e tenho plena certeza de que morreu em paz quanto à isso.

O difícil é escolher somente uma música que represente a grande entidade que foi, e ainda é, Bo Diddley. Como este é um post especial vou abusar.

"PRETTY THING" - BO DIDDLEY
Essa é minha música preferida dele, fico viajando nela, sempre no repeat.
Baixe Aqui!

You pretty thing,
Let me buy you a wedding ring,
Let me hear the choir sing,
Oh you pretty thing.

You pretty thing,
Let me walk you down the aisle,
Darling, it’s where our love is found,
Oh you pretty thing.

Let me kiss you gentle,
Squeeze and hold you tight,
Let me give all my love,
The rest of my life.

You pretty thing,
Let me hold you by my side,
And become my blushing bride,
You pretty thing,
Pretty thing,
Let me dedicate my life,
You will always be my wife,
Oh you pretty thing.


"ROADRUNNER" - BO DIDDLEY
Essa também é ótima, boa pedida pra representar toda animação de Bo, uma música com a assinatura incomparável dele.
Baixe Aqui!

I'm a road runner honey,
Beep! Beep!
I'm a road runner honey,
And you can't keep up with me,
I'm a road runner honey,
And you can't keep up with me,
Come on, let's race,
Baby baby, you will see,
Here I come,
Beep! Beep!
Move over honey,
Let me by,
Move over baby,
Let this man by,
I'm gonna show you baby, look out your head,
Gonna put some dirt in your eye,
Here I go!
Oh yea, how am I doin?
Beep! Beep!
Take my hand baby,
I'm gonna prove to you that I'm a road running man,
I wanna show you something,
That I'm the fastest in the land,
Now let me by,
Beep! Beep!
Oh yea, you said you's fast,
But it don't look like you gonna last,
Goodbye! I've got to put you down,
I'll see you some day,
Baby, somewhere hangin' around.


"WHO DO YOU LOVE" - BO DIDDLEY E MUDDY WATERS
Essa parceria dá pano pra manga, simplesmente Muddy+Bo Diddley= Música Boa
Baixe Aqui!

I walk 47 miles of barbed wire,
I use a cobra-snake for a necktie,
I got a brand new house on the roadside,
Made from rattlesnake hide,
I got a brand new chimney made on top,
Made out of a human skull,
Now come on take a walk with me, arlene,
And tell me, who do you love?

Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?

Tombstone hand and a graveyard mine,
Just 22 and I don't mind dying.

Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?

I rode a lion to town, use a rattlesnake whip,
Take it easy arlene, don't give me no lip,

Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?

Night was dark, but the sky was blue,
Down the alley, the ice-wagon flew,
Heard a bump, and somebody screamed,
You should have heard just what I seen.

Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?

Arlene took me by my hand,
And she said ooowee bo, you know I understand.

Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?
Who do you love?


"HEY BO DIDDLEY!" - BO DIDDLEY
Para fechar com chave de Ouro essa música que é Bo Diddley literalmente.
Baixe Aqui!

Bo diddley done had a farm,
On that farm he had some women,
Women here, women there,
Women, women, women everywhere.

But one little girl lived on a hill,
She rustled and tustled like buffalo bill,
One day she decided she'd go for a ride,
With a pistol and a sword by her side.

She rolled right up to my front door,
Knocked an' knocked 'til her fist got sore,
When she turned and walked away,
All I could hear my baby say:

Hey bo diddley, oh bo diddley,
Hey bo diddley, oh bo diddley.

Saw my baby run across the field,
Slippin' and slidin' like an automobile,
Hollerin', my baby got towed away,
Slipped on from me like a cadillac-8.

Hey bo diddley, oh bo diddley,
Hey bo diddley, oh bo diddley.


Com os vídeos não será diferente, vários em homenagem ao mestre!

Road Runner


Hey Mona


Uma parceria com Ron Wood


Hey Bo Diddley!



"Um dos pais fundadores do rock and roll deixou o edifício que ajudou a construir"

Fique em paz Bo!

Seguidores deste Blog