domingo, 13 de janeiro de 2008

TOMMY JOHNSON * POR VOLTA DE 1896 † 01/11/1956

TOMMY JOHNSON foi um dos mais influentes artistas de Blues que trabalhou no Mississippi Delta nos anos 20 e 30. Somente os famosos bluesman CHARLEY PATTON e SON HOUSE superaram em respeito e popularidade e tiveram um maior impacto do que Tommy Johnson. Com uma voz de corpo e alma poderosa que podia se revestir de um assustador falsete e um estilo forçado de guitarra, embora um tanto limitado, evocava fragmentos das figuras do Blues, Tommy Johnson sem dúvida ajudou a definir o som dos primórdios do Delta Blues.

Se ele tivesse gravado mais - ele fez apenas uma dúzia de gravações durante a sua carreira - o seu status como um dos pioneiros do Blues sem dúvida nenhuma seria bem maior hoje entre os admiradores do estilo. Muito do legado e fama de TOMMY JOHNSON vem de suas apresentações ao vivo. A sua performance em cima dos palcos era única e se caracterizava pela grosseria contra as mulheres, o seu assustador flerte com o demônio e principalmente a sua capacidade em beber tudo o que aparecesse pela frente (quando o uísque não estava disponível, Johnson bebia álcool desnaturado e até liquido para polir sapatos).

TOMMY JOHNSON repetidamente afirmava aos amigos e admiradores que o seu talento para o Blues seria resultado de um pacto com o diabo, onde ele vendeu a sua alma para o capeta em troca de talento. As suas performances no palco ajudava a confirmar essa história, as vezes TOMMY JOHNSON tocava com a guitarra atrás de seu pescoço e costas, parecendo possuído pelo demônio realmente.

TOMMY JOHNSON promoveu um impacto profundo na carreira de HOWLIN' WOLF.

Quando ele atingiu a adolescência, aprendeu de maneira rudimentar os primeiros acordes de guitarra e foi para a região norte do Delta, onde conheceu Patton e o amigo de muitos anos e parceiro musical WILLIE BROWN. Ambos exerceriam uma influência imediata em TOMMY JOHNSON na sua maneira de tocar e cantar o Blues. Rapidamente começou a trabalhar com eles na região do Delta.

No final dos anos 1920, TOMMY JOHNSON trabalhou com CHARLIE McCOY, ISHMAN BRADY e RUBIN LACY em Jackson na área do Mississippi. Entre 1928 e 1930 ele gravou para os selos VICTOR e PARAMOUNT. Nessas gravações foram imortalizados verdadeiros clássicos do blues como "Big Road Blues" e "Canned Heat Blues", esse último som uma autobiografia sobre a sua luta contra o álcool.

Tommy Johnson morreu em 1956 aos 60 anos de idade, após sofrer um ataque cardíaco. Ele entrou para o BLUES FOUNDATION'S HALL OF FAME em 1987.

"BIG ROAD BLUES" - TOMMY JOHNSON
(Gravação Original de 1928)
Baixe Aqui!

Cryin', ain't goin' down this big road by myself
Now don't you hear me talkin', pretty mama?
Lord, ain't goin' down this big road by myself
If I don't carry you, gon' carry somebody else
Cryin', sun gonna shine in my back door someday
Now, don't you hear me talkin', pretty mama?
Lord, sun gon' shine in my back door someday
And the wind gon' change, gon' blow my blues away
Baby, what makes you do me like you do do do, like you do do do?
Don't you hear me now?
What makes you do me like you do do do?
Now you think you gon' do me like you done poor Cherry Red
Taken the poor boy's money now, sure, Lord, won't take mine
Now don't you hear me talkin' pretty mama?
Taken the poor boy's money; sure, Lord, won't take mine
Taken the poor boy's money now; sure, Lord, won't take mine
Cryin', ain't goin' down this big road by myself
Now, don't you hear me talkin', pretty mama?
Lord, ain't goin' down this big road by myself
If I don't carry you, gon' carry somebody else
Cryin', sun gon' shine, Lord, my back door someday
Now don't you hear me talkin', pretty mama?
Lord, sun gon' shine in my back door someday
And the wind gon' change, blow my blues away

por: JoKa Blues

2 comentários:

blues rural disse...

Fala Spider, muito bom o blog bicho, material de primeira.

Conheci o Tommy Johnson através dessa música “Canned Heat”, na época eu estava fissurado na banda Canned Heat, cheguei ao Tommy Johnson por causa do nome da banda.

Gostei do post sobre o Skip James, não me lembro de ter visto sobre ele em outros blogs.
Tem como saber melhor sobre essa afinação em Ré menor que ele usava?
“I'm so glad”é a mesma música gravada pelo Cream?

O post do J. B. Lenoir também ficou massa.

Te mandei um e-mail com a fotos do som de sábado.

Abração, Cauê.

Lucas "Spider" disse...

Grande Cauê! Que bom que gostou, fique ligado que eu to postando mais de um post por dia.

Como a pesquisa é feita pelo JoKa, pedi para ele que falasse melhor sobre a afinação de Skip James assim que eu tiver respostas te falo.
"I'm so Glad" é sim a mesma gravada pelo Cream.

O homenageado da semana é Blind Blake, já já posto sobre ele.

Abraços!

Seguidores deste Blog